Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Não ter carteira de motorista - uma oportunidade

Publicado em Mobilidade  |  
Avalie este item
(2 votos)
Blankita | de Guayaquil, Ecuador

Sou de Guayaquil, Ecuador, uma cidade comercial da costa. Aprendi a falar português na rua, tive as melhores amigas brasileiras em meu tempo de migrante em Estados Unidos e a partir de esse momento amei a cultura brasileira como se fosse parte da minha cultura original MONTUBIA da costa do Ecuador. Minha gramática é uma mistura chamada “portuñol” mas espero falar com o coração e que vc consiga traduzir o que não dá para entender. Falo muito, escrevo pouco, li um monte, e tento ouvir demais para aprender. Tenho uma luta constante contra o egoísmo, orgulho e a preguiça. não só pra ler e ouvir, mas em geral em la vida.

Eu preciso dizer isso antes de fazer um artigo porque não sou um exemplo e as minhas recomendações e iniciativas têm vezes que nem eu mesma consigo seguir, e escrever me ajuda a recordar minha luta constante... obrigada pela oportunidade! :) Quando comecei a amar a bicicleta? É provavelmente o mesmo tempo que aprendi a participar ativamente em uma luta por uma sociedade diferente. Tinha 7 ou 8 anos quando a mãe da minha melhor amiga que era ecologista ajudou a formar um clube ecológico infantil “Bonita Vecindad”, coletávamos, com minhas irmãs e vizinhas, jornais para reciclagem. A gente fazia mingas de limpeza e outras atividades pra cuidar de nosso bloco. Para coletar fundos a gente vendia frutas, limonada e Chucula (um tipo de doce de banana) e repartiamos em casas em bicicleta.

Meu bairro se chama “Guayacanes” (arvore típica da costa do Ecuador) atualmente só ficou o nome porque não tem mais dessa arvore :( Minha infância foi muito ativa pelo resgate do meio ambente e a partir disso questionava muitas coisas em minha casa, meu colégio e em minha sociedade. Acho que tive a oportunidade de viver no melhor tempo que qualquer ecuatoriano pode viver, “A peor crisis económica, política e social da historia do Ecuador”. A guerra com o Perú, El fenómeno del niño (El Niño-Southern Oscillation) Feiras Bancarias, A dolarizacao, A Migração, entre outros. Cada uma e uma historia que de pouco tem me moldado e me faz ver cada situacao como uma oportunidade com outra persepctiva.



Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.