Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017
Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 46

Saúde

Avalie este item
(1 Votar)

Para finalizar sua apresentação, Luis Eugênio Portela reúne suas principais considerações e propõe-se a pensar que atitudes são necessárias para reverter o modelo da produção de Tecnologias da Saúde, em que se percebe o controle da produção de inovação orientado para cumprir essencialmente os interesses do mercado da saúde em detrimento do interesse de promoção saúde como bem social.

Pérolas

Escrito por  |  Terça, 26 Novembro 2013 14:20  |  Publicado em Saúde
Avalie este item
(5 votos)

A natureza escreve belas fabulas todos os dias, dentre as quais a da pérola é uma das mais ricas em significados e tem sido vista e comentada por retratar, entre outras coisas, os  aspectos relacionados ao papel das dificuldades em nossas vidas.

Vale a pena descrever novamente, para os que não conhecem, o fato de que a criação de uma pérola, começa com um acidente. Um tipo de molusco (as ostras) precisa abrir  constantemente suas conchas, para filtrar as bactérias da água( plâncton) obtendo seu alimento, porém, eventualmente, pode ocorrer de um grão de área penetrar a concha e provocar danos ao molusco. Daí começa um lento processo, “imunológico”, se comparado a ação do sistema imunológico dos animais,  de suavizar as arestas deste grão de areia, com uma substancia denominada madrepérola, e a partir daí, gerar aquela bela esfera, conhecida como pérola.

Que magnífica faculdade! Talvez o molusco não possa reconhecer a beleza gerada pela forma com a qual irá lidar com o grão de areia, para este ser vivo, isto é uma rotina, uma cicatriz, um encargo da vida, porém sua criação possui uma qualidade especial ao observador humano.

Nós mesmos, seres humanos, em nossa rotina, somos tantas vezes assediados por situações incomodas que exigem que nossas faculdades trabalhem com todas as suas qualidades, de maneira que possamos arredondar as  arestas das dificuldades que enfrentamos. E seremos nós , seres muitas vezes mais complexos que estes moluscos, capazes de apreciar as pérolas que vamos moldando ao longo de nossa existência.

Eis uma boa reflexão, que pode nos abrir o olhar sobre este valor em nossas vidas, valor que talvez possa passar desapercebido para nós mesmos, e mesmo para as outras pessoas, mas que estão gravadas no nosso espírito. Pois cada uma das dificuldades que vamos enfrentando,  vão  formando nossa maneira pessoal de “arredondamento”,  de lidar com situações adversas, estas que  foram transformadoras no sentido de nos colocar em contato com nossas capacidades,  e quando ultrapassadas, aliviaram o peso existencial para continuarmos viventes.

Existem pérolas de estimado valor, umas impecáveis em sua forma, outras um tanto amorfas,  de variados tamanhos. Em relação ao molusco, todas possuíram um mesmo valor, o de revelar sua capacidade de superar tal situação,  que inicialmente, não saberiam se conseguiriam.



Será que,  ao olharmos para trás, e consultar nosso passado, e mesmo o que estamos vivendo no presente, seremos capazes de encontrar algumas pérolas em nossa vida?  Qual o valor elas tiveram para nós?  Poderemos descobrir, que uma jóia de valor inestimável foi cunhada em nós mesmos, fonte de riqueza inestimável do nosso espírito.

Tecnologias da Saúde - Parte 4 de 5

Escrito por  |  Segunda, 06 Abril 2015 11:00  |  Publicado em Saúde
Avalie este item
(1 Votar)

Luis Eugênio Portela começa a quarta parte de sua palestra questionando de que modo é possível propor um modelo de desenvolvimento que dê conta da integralidade, compreendendo a saúde tanto como tratamento quanto como prevenção, em oposição ao sistema de saúde hospitalocêntrico e curativista internacional atual, refém dos interesses das empresas farmacêuticas e tecnológicas.

Tecnologias da Saúde - Parte 3 de 5

Escrito por  |  Sexta, 03 Abril 2015 19:00  |  Publicado em Saúde
Avalie este item
(1 Votar)

Investigando os porquês da atribuição de valores às tecnologias desenvolvidas pela humanidade não acompanhar seu próprio interesse ético em difundir a democracia, a liberdade, a igualdade e outros pilares da nossa construção coletiva, Luis Eugênio Portela se depara com a força dos oligopólios econômico-industriais da saúde, explicitando de que forma se articulam para pensar quais são as necessidades a serem supridas (desejabilidade) e qual a capacidade de aquisição dessas tecnologias pelo mercado (capacidade de pagamento). Eis o valor final que este cálculo encontra: "a efetividade dessas tecnologias e os interesses desses grupos fazem com que a gente tenha um modelo que atenda a esses interesses, que se constitui enquanto hegemônico e que pareça insubstituível."

Esse lixo é meu!

Escrito por  |  Segunda, 22 Fevereiro 2016 18:00  |  Publicado em Saúde
Avalie este item
(2 votos)

Hoje na hora do banho eu vi que ao fechar o box deixava ali no chão alguns fios de cabelo. Voltei pra junta-los e jogar na lixeirinha porque imaginei que seria desagradável pra outra pessoa chegar ali e encontrar 'meu lixo' jogado no chão e disse pra mim mesma enquanto catava meus fios de cabelo: "me dar aqui que esse lixo é meu!". E comecei a me perguntar sobre qual o meu papel social e responsável com o lixo que eu gero diariamente ou quando acaba meu 'passatempo' preferido e fica só o pacotinho de plastico. Ou aquela barra de talento de castanha que me faz companhia em todo ciclo menstrual e que não ajuda em nada na minha vida mas me faz mais feliz por cinco minutos?



Pagina 1 de 2