Sábado, 21 de Julho de 2018
Luiza Rossi

Luiza Rossi

Cientista social e comunicadora, trabalha como videomaker e editora de vídeos de forma independente. 

Em 2012, trocou o carro pela bicicleta e fez sua primeira viagem cicloturística com amigos 10porhora, e então tudo começou..!

O desenvolvimento da pílula anticoncepcional marcou profundas mudanças nas sociedades ocidentais. Comercializada inicialmente como para "minimizar efeitos desagradáveis da menstruação", a pílula na verdade já havia sido desenvolvida com vistas a promover o autocontrole da fertilidade, possibilidade que alavancou o ingresso efetivo das mulheres no mundo do trabalho. O controle do momento de engravidar, e a opção de engravidar ou não, deram asas à perspectiva de construção de uma carreira profissional e à liberdade sexual.

Para finalizar sua apresentação, Luis Eugênio Portela reúne suas principais considerações e propõe-se a pensar que atitudes são necessárias para reverter o modelo da produção de Tecnologias da Saúde, em que se percebe o controle da produção de inovação orientado para cumprir essencialmente os interesses do mercado da saúde em detrimento do interesse de promoção saúde como bem social.

Quem não pedala vive menos! São tantas as experiências que o pedal proporciona que, realmente, não consigo deixar de pensar que perde muito quem não se arrisca a amar uma bicicleta. Dentre essas experiências, uma que você sem dúvidas vai passar fácil é pedalar debaixo de chuva, e pedalar nestas condições requer estar atenta/o a alguns detalhes e dicas que podem fazer a diferença. Reúno aqui algumas dicas e compartilho os itens que uso pra um pedal seguro sob água.

Esta é uma carta muito boa. Vem de uma sensação feliz de segura caminhada na trajetória convidativa e inevitável da vida. Há alguns anos, quando a Copa se anunciou no País, floresceu junto a ideia de que ela geraria uma nova movimentação em alguns setores do mundo do trabalho, ofereceria algumas chances, algumas oportunidades. Naquela altura, meu pai e minha mãe tiveram a sutileza de me estimular a aproveitar o momento para construir meu futuro, fortalecer minha produção audiovisual, buscar. Esta oportunidade não esteve dada para todos os que queriam, nem muito menos todos os que precisam. Sou grata que tenha aparecido para mim e luto para que possa aparecer para cada vez mais sonhadores e sonhadoras, que somos todos.

A Copa me trouxe um universo novo de interesses e realidades. Fui introduzida ao universo dos direitos humanos e a compreensões politicas e sociais inteiramente novas, estiraram-se algumas cortinas que escondiam temas verdadeiramente importantes para o meu coração e para o que entendo como trabalho e serviço. Ao 'fim' do processo do mundial, que não é senão, como tudo na vida, apenas um ciclo que gerará outro, posso perceber que agarrei suas oportunidades. Sou muito feliz pelo trabalho desenvolvido e em desenvolvimento no Projeto 10porhora, pelos estímulos e buscas de desacelerar e conectar sustentabildade na minha própria vida. Muito começou em 2012 com um convite do Projeto e do amigo Diego para participar de uma oficina de Vídeo Para os Direitos Humanos, convite este que foi o abrir da tampa de um baú que revelou um mundo novo. A sustentabilidade não é senão um chamado carinhoso e atento para o equilíbrio. Sou muito feliz pelo trabalho desenvolvido junto à Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa, ao qual fui apresentada na oficina, muito obrigada pelas portas abertas e os ensinamentos importantes sobre trocas, dedicação, trabalho e comunidade - fico satisfeita em perceber que pude retribuir, particularmente com um curta-metragem que engrandece meu trabalho como editora, ao que me dedico com coração, e colabora para a construção e fortalecimento de um audiovisual brasileiro e internacional engajado com os direitos humanos, e de uma sociedade mais amiga e mais integrada, o curta Cartão Vermelho. Obrigada ao 10 pelas contínuas oportunidades e confiança. Pudemos ainda realizar juntas(os) uma curadoria que me ensinou sociologia, comunicação e audiovisual semanalmente, que fez nascer o projeto Ciclovideos; pudemos estar nas ruas; pudemos estudar muito; pudemos sonhar alto; e pudemos realizar e construir mudanças.

Aos amigos e amigas que se estendem na caminhada, aos que se tornam família e aos que maravilhosamente sempre foram, aos que apóiam a busca e jogam flores no caminho, aos e às que se abrem para novas jornadas e novas possibilidades, e aos que lutam por uma comunidade mais feliz e mais equilibrada,

muito obrigada pela parceria e a amizade,

Luiza

Publicado em Mundo
 |  Terça, 11 Fevereiro 2014 15:03

Em 1969, um festival memorável marcou a história da música ocidental. Sem registros de violência, a festa uniu milhares ao ar livre para escutar e assistir a uma grande lista de importantes nomes da música internacional, incluindo Sly & The Family Stone.

O futebol sempre foi um sonho. Quando eu tinha oito anos já gostava tanto de jogá-lo que abria mão de passar o recreio com as amigas para me arriscar entre o bate-bate dos meninos na quadra esportiva.

Publicado em Mundo
 |  Sexta, 08 Novembro 2013 14:10

Há algum tempo falamos aqui sobre o Connect4Climate, uma "campanha, coalizão e comunidade preocupada com a mudança climática" que procura difundir e discutir o tema através do estabelecimento de uma plataforma online que o articule globalmente, e da promoção e estímulo a ações locais espalhadas pelo mundo, notoriamente nas áreas de advocacia, apoio técnico, pesquisa e capacitação.

TereszinhaSobre a bicicleta, a vida passa como o solavanco das pedras indesviáveis e dos passeios triturados pela insurgência das raízes. Como é bom ser o pedal. Em desce meio-fio sobe meio-fio, posso pensar unicamente nos impactos. A cidade são árvores, hipotenusas das calçadas, pedaços de concreto perdidos, nem se lembram donde vieram. Entendem-se ciclistas pelas ruas, com o bom cumprimento do parceiro desconhecido, um olá ao reconhecimento dos perigos e da diversão. O nível e o vício da adrenalina confundem-se ao êxtase de não pensar. Só a cidade reflete. Refletem as rodas, sobre as pernas, restos de chuva, refletem os asfaltos, sobre o corpo, o calor da ilha, refletem os retrovisores, sobre retrovisores, outros retrovisores... A vida das formigas segue, e a tragédia de serem tão miudinhas ante nossa grandeza estabanada de gigante.

 

Luis Eugênio Portela começa a quarta parte de sua palestra questionando de que modo é possível propor um modelo de desenvolvimento que dê conta da integralidade, compreendendo a saúde tanto como tratamento quanto como prevenção, em oposição ao sistema de saúde hospitalocêntrico e curativista internacional atual, refém dos interesses das empresas farmacêuticas e tecnológicas.

Publicado em Cultura
 |  Terça, 01 Outubro 2013 13:34

Depois de lançar em 2007 o 15 milhões de vezes visualizado A História das Coisas, o The Story Of Stuff Project (Projeto A História das Coisas) lança hoje A História das Soluções. O novo filme, de oito minutos de duração, fala sobre o que será preciso para construir um mundo mais sustentável, saudável e economicamente justo.



Pagina 1 de 2